Eduardo Costa

Coluna do Eduardo Costa

Veja todas as colunas

Diga-me com quem andas...

09/03/2020 às 07:50
Diga-me com quem andas...

Por conta da trajetória e da profissão, sempre convivi com gente pobre e muito rica. E concordo plenamente com o velho ditado de que dinheiro não traz felicidade. Alguém vai lembrar que é melhor sofrer em Paris... Será? 

Vejamos algumas pessoas famosas que não deram conta de viver. Um ator? Robin Willians; cantor? Cazuza; cantora? Amy Winehouse; um jogador? Garrincha.

Pior que ser pobre é ganhar muito dinheiro sem estrutura familiar, segurança emocional, apoio de verdadeiros amigos. Passei o fim de semana pensando em dois jogadores de futebol: Bruno e Ronaldinho.

Bruno porque, no sábado cedo, o “Palavra Aberta” ouviu dois advogados a respeito da conveniência ou não de ele trabalhar. E ficou claro, para mim, mais uma vez, que Bruno, autor de crime repugnante, é vítima hoje de algo mais grave que é a confusão entre Justiça e vingança, considerando que nós – a tal sociedade – ignoramos solenemente que ele já cumpriu sua pena e insistimos em impedi-lo de retomar sua carreira, sua vida.

Bruno continua pagando porque tem talento, mas não teve berço, infância, aconselhamento materno, paterno, amigos de verdade e estrutura emocional.

Ronaldinho Gaúcho vive a tiracolo de um irmão que tem fama de olho grande e passa uma péssima impressão. De longe. Ronaldinho preso no Paraguai. E a gente não pode dizer que está surpreso, pois, afinal, ele já se meteu em outras trapalhadas. Levou mulher para a concentração, posou com outras nuas em piscina, construiu em áreas proibidas, enfim, uma série de atitudes incompatíveis com um astro de sua grandeza. E foi parar no xadrez, algemado, acusado de falsificação, no país que (pelo menos para nós) é famoso por exportar falsificação.

Bruno sofre com a falta de orientação honesta, sincera, amigos de verdade: Ronaldinho também... Um é pobre menino rico, o outro já perdeu tudo, para advogados e espertalhões. 

A fama atrai hienas. Se não houver o antídoto de fé, família e foco, a pessoa não dá conta.

Montagem Itatiaia: Reprodução Registânea e  Bruno Cantini/Agência Galo/Atlético

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    O crime aconteceu na BR-040, em Nova Lima, Região Metropolitana de Belo Horizonte, em fevereiro deste ano. A mulher, de 31 anos, morreu na hora.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Segundo um relatório divulgado pelo Conselho Gestor na sexta-feira passada (29), haviam duas parcerias engatilhadas para a nova diretoria. #Itatiaia

    Acessar Link